Você está em: Clikaki »   Esportes » Fórmula 1 » F-1 poderá contar com apenas 14 carros em 2015, admite chefão

F-1 poderá contar com apenas 14 carros em 2015, admite chefão

Finanças

Problemas financeiros podem acabar diminuindo drasticamente o número de carros que disputam a F-1.

Bernie admite que ano que vem F-1 poderá ter apenas 14 carros. (Foto: Getty Images)

Bernie admite que ano que vem F-1 poderá ter apenas 14 carros. (Foto: Getty Images)

Problemas financeiros já são realidade na Fórmula 1 atual, prova disso é que as equipes Catherham e Marussia não irão participar do GP dos Estados Unidos, pois estão em busca de novos investidores para uma reestruturação, isso faz com que a corrida deste fim de semana tenha o grid mais enxuto dos últimos tempo, serão 18 carros em busca da vitória.

O próprio chefão comercial da Formula 1, Bernie Ecclestone, já admitiu que as chances de no ano que vem apenas 14 carros entrarem na pista são grandes – a Sauber e a Lotus também passam por problemas financeiros. Isso é muito pouco para a grandeza da mais importante competição de automobilismo mundial.

Em uma entrevista concedida à emissora “Sky Sports”, Bernie afirmou: “Podemos cair para 14. Se perdermos mais duas equipes, é isso que vai acontecer. Eu não posso prever se é isso que vai acontecer. Com até 18 carros, a situação não seria tão dramática. Nós precisamos das equipes menores, porém elas precisam exercer seu trabalhar da maneira certa”.

Caso três equipes tenham a necessidade de abandonar o grid, as outras passarão a correr com três carros, é isso que diz um regulamento da Fórmula 1. O problema financeiros das equipes pequenas, gerou uma certa apreensão nos dirigentes da outras escuderias, que reclamam dos altos custos de operação para um terceiro monoposto. Diversos boatos estão circulando nos bastidores, um deles é que caso o grid fique esvaziado, seja implementado uma nova ideia para 2015.

GP da Rússia contou com 21 carros. (Imagem: Reprodução)

GP da Rússia contou com 21 carros. (Imagem: Reprodução)

O ex-piloto e atual comentarista da F-1, Martin Brundle, disse: “A curto prazo seria uma solução, mas um verdadeiro desastre a longo prazo. Me disseram que poderia custar entre 35 a 40 milhões de libras a mais (entre R$ 140 e 160 milhões) para ter um carro extra no próximo ano, porém isso ainda não estão muito claro”.

Para piorar a Caterham já afirmou que não irá participar do GP do Brasil, a Marussia por sua vez ainda não deu seu parecer. Por não ter condições de pagar o salário de funcionários e fornecedores, Marussia e Caterham foram a administradores legais, cabe a eles buscarem investidores novos e viabilizar a operação das equipes.

Compartilhe este artigo:

publicidade

Deixe o seu comentário

Siga-nos

Participe

Cadastre-se

Cadastre seu email para receber as últimas novidades

Ofertas