Você está em: Clikaki »   Saúde » Função do tudo digestivo

Função do tudo digestivo

O processo digestivo se inicia na boca. A cavidade bucal e limita com o exterior pelos lábios e contém em seu interior as arcadas dentárias e a língua, na qual se encontram as papilas gustativas. Das diversas glândulas salivares (parótidas, submaxilares e sublinguais), somente as sublinguais estão localizadas na cavidade bucal, por detrás do queixo... Veja mais sobre o tubo digestivo.

Função do tudo digestivo

O processo digestivo se inicia na boca. A cavidade bucal e limita com o exterior pelos lábios e contém em seu interior as arcadas dentárias e a língua, na qual se encontram as papilas Sistema Digestivogustativas. Das diversas glândulas salivares (parótidas, submaxilares e sublinguais), somente as sublinguais estão localizadas na cavidade bucal, por detrás do queixo.

A continuação da cavidade bucal é a faringe, tubo de uns 13 cm de comprimento dividido em três zonas: rinofaringe, orofaringe e laringofaringe. A primeira zona faz parte das vias respiratórias, a segunda dá passagem – embora nunca simultaneamente – ao ar da respiração e ao bolo alimentar, e terceira tem unicamente função digestiva.

O esôfago está situado em continuação à faringe. É um tubo que tem aproximadamente 25 cm de comprimento; suas paredes são musculosas, com revestimento de mucosa. A primeira de suas partes encontra-se na garganta, entre a traquéia e coração e finalmente atravessa o diafragma, penetrando no abdome até se comunicar com o estômago.

O estômago é uma dilatação do tubo digestivo na qual se acumulam alimentos vindos do esôfago. Está situado na parte superior do abdome, quase que inteiramente à esquerda da linha média do corpo, representada pela coluna vertebral. Apresenta duas curvaturas: uma maior, que forma os limites do lado inferior esquerdo, e uma menos, correspondente ao lado superior direito. Em seu interior podem-se distinguir várias áreas: o orifício que se comunica com o esôfago, no qual se encontra o esfíncter denominado cárdia por sua proximidade com o coração; uma porção superior esquerda chamada de fundo gástrico; o corpo do estômago propriamente dito, e uma porção inferior mais estreita conhecida como antropilórico, no final da qual se acha o piloro ou esfíncter pilórico, que faz a comunicação entre o estômago e o intestino delgado.

A parede do estômago está constituída, de fora para dentro, por três camadas musculares de fibras longitudinais, circulares e oblíquas, uma camada submucosa e, formando já sua parede interna, uma camada mucosa na qual se encontram as glândulas gástricas. Exteriormente, o estômago está envolvido por uma capa serosa chamada de peritônio.

O intestino delgado é um tubo quase que cilíndrico, de uns 6m de comprimento, que se encontra entre o estômago e o intestino grosso. A parte inicial, chamada duodeno, tem cerca de 25 a 30 cm de comprimento; o jejuno, o segmento médio, mede aproximadamente 360 cm, e o íleo, a parte final, o restante. O duodeno está preso à parede abdominal enquanto os dois segmentos seguintes estão livres dentro do abdome; quase não é possível distinguir por seu aspecto e estrutura o jejuno do íleo.

As paredes do intestino delgado apresentam algumas diferenças estruturais em relação à do estômago; de fora para dentro temos a serosa, duas camadas musculares formadas por fibras longitudinais e circulares, a camada submucosa e, não é lisa, mas pregueada e com vilosidades, entre as quais se encontram glândulas que secretam o suco intestinal e o muco.

0.00 avg. rating (0% score) - 0 votes

Compartilhe este artigo:

publicidade

Deixe o seu comentário

Siga-nos

Participe

Cadastre-se

Cadastre seu email para receber as últimas novidades

Ofertas