Você está em: Clikaki »   Educação » História » O que foram as Cruzadas?

O que foram as Cruzadas?

Conflitos

Organizadas pelo papa, as cruzadas foram expedições que tinham como objetivo retomar a Terra Santa.

Cruzadas

As cruzadas ocorreram dentre os anos de 1096 e 1270, tendo no total 8 expedições

As Cruzadas ocorreram dentre os anos de 1096 a 1270, elas eram expedições feitas a mando da Igreja, o objetivo delas era recuperar a Terra Santa, ou seja, a Palestina que estava sobre o controle dos turcos seldjúcidas, eles também queriam reunificar o mundo cristão, que estava dividido com a “Cisma do Oriente”.

No século XI depois de termino das invasões bárbaras, a Europa toda estava prosperando, ou seja, a economia começou a crescer e teve início um período de estabilidade. Esse crescimento acabou causando um aumento descontrolado da população, e no sistema feudal, somente o primogênito herdava as terras, isso acabou deixando muitas pessoas sem um lugar para viver, como resultado muitos deles começaram a levar uma vida de criminalidade. Devido a isso, os senhores feudais começaram a decidir o que seria feito para acabar com isso.

Os cruzados

Os expedidores ficaram conhecidos como cruzados, devido a cruz que carregavam no peito

Assim como já dito, o mundo cristão estava dividido. O motivo dessa divisão era que alguns seguidores da Igreja Romana não concordavam com certos dogmas, esses seguidores fundaram então a Igreja Ortodoxa no Oriente. Até o século XI Jerusalém, pertencia ao domínio árabe e eles permitiam as peregrinações cristãs à Terra Santa. No fim do século XI, os turcos seldjúcidas que vivem na Ásia Centra, tomaram Jerusalém. Como os turcos seguiam a religião islâmica eles proibiram o acesso de cristãos a Jerusalém.

No ano de 1095, o então papa Urbano II convocou expedições para retomar Jerusalém. Os expedidores ficaram conhecidos como cruzados pelo fato de carregarem uma grande cruz no peito. A proposta do papa era que quem participasse das excursões, ganharia o perdão de seus pecados.

Os senhores feudais também estavam interessados nessas expedições, pois isso significava para eles mais terras. Outros que demonstravam interesse nessas terras eram os mercantilistas, que queriam ampliar seus negócios até o Oriente e eles também queriam as especiarias orientais, que eram vendidas por altos preços, como: pimenta do reino, cravo, noz-moscada, canela e outros. No total foram oito cruzadas enviadas ao oriente algumas pela fé outras pela ambição.

As oito cruzadas

A primeira cruzada (1096 – 1099) era formada apenas por cavaleiros da nobreza e não tinha a participação de nenhum rei, após algumas batalhas eles conseguiram tomar Jerusalém, o principado de Antioquia, os condados de Trípoli e Edessa. A segunda(1147 – 1149) foi enviada para retomar Edessa que havia acabo de ser invadida pelos islâmicos, mas eles falharam na sua missão devido a discordâncias entre seus líderes Luís VII, da França, e Conrado III, do Sacro Império. Jerusalém foi retomada pelo sultão muçulmano Saladino em 1189 então uma terceira cruzada (1189 – 1192) foi enviada e recebeu o nome de “Cruzada dos Reis”, ela tinha como participantes os reis da França, Inglaterra e do Sacro Império. Nessa expedição foi firmado um acordo de paz entre Ricardo Coração de Leão, rei da Inglaterra, e Saladino, permitindo que os cristãos voltassem a peregrinar em Jerusalém. A quarta cruzada (1202 – 1204) acabou criando um grande problema, pois ela acabou se desviando do seu caminho original e acabou parando em Constantinopla, isso fez com que o império Oriental se dividisse e aumentou o ódio entre a cristandade grega e latina.

A quinta cruzada durou de 1217 até 1221, e foi um completo fracasso, liderada por André II, rei da Hungria e depois por João Brienne, eles falharam após não conseguirem suportar as enchentes do rio Nilo, a intenção dessa cruzada era de dominar um fortaleza muçulmana existente sobre o monte Tambor, no Egito. A sexta cruzada foi um sucesso, apesar de alguns problemas no início, os cruzados conseguiram retomar Jerusalém, Belém e Nazaré em 1228. Mas em 1244, os turcos retomaram novamente Jerusalém, então uma a sétima cruzada (1248 – 1250) foi enviada, ele tinha no comando o rei Frances Luís IX e pretendiam retomar a Terra Santa, mas ele falharam após serem encurralados em uma das cheias do Rio Nilo e não conseguiram o objetivo, para piorar o rei Luís IX foi mantido como prisioneiro e a França teve que desembolsar 500 mil moedas de ouro para tê-lo de volta. A oitava (1270), também foi liderada por Luís IX, mas essa cruzada também fracassou e o rei faleceu antes mesmo de chegar em Túnis, devido à peste. A situação nesse período no Oriente Próximo estava muito complicada, as ordens religiosas estavam em discórdia umas com as outras. Os turcos também passavam por um momento difícil, pois eles estavam desunidos e sofriam ameaças dos mongóis. Algum tempo depois Luís IX passou a ser conhecido como São Luís.

Consequências 

Apesar de terem falhado no seu principal objetivo as cruzadas tiverem como consequência o enfraquecimento do feudalismo, o aumento do poder da monarquia, a expansão do mercado e o enriquecimento do Oriente.

0.00 avg. rating (0% score) - 0 votes

Compartilhe este artigo:

publicidade

Deixe o seu comentário

Siga-nos

Participe

Cadastre-se

Cadastre seu email para receber as últimas novidades

Ofertas