Você está em: Clikaki »   Atualidades » O trabalho infantil no mundo atual

O trabalho infantil no mundo atual

Problema social

O Estatuto da criança e do adolescente proíbe totalmente o trabalho de crianças menores de 14 anos e permite aos adolescentes de 14 a 16 anos na qualidade de aprendiz, executarem atividades remuneradas sem prejudicar a escolarização.

Trabalho infantil no mundo

Três milhões de crianças no Brasil com menos de 14 anos ainda sofrem exploração do trabalho

Grande problema social

O trabalho infantil é tido como crime no Brasil, extremamente proibido. Ainda assim, em média, três milhões de crianças menores de 14 anos e adolescentes, que ao invés de estarem estudando e tendo uma vida social apropriada para a idade estão trabalhando para ajudar no sustento de suas famílias.

Geralmente o trabalho infantil é explorado no campo, em pedreiras, agricultura, algumas vezes em fábricas, oficinas, lixões e trabalhos mais ilícitos ainda que envolvam tráfico de drogas, prostituição, o que geram enormes danos físicos e psicológicos as crianças e jovens.

Atitudes como esta acarretam mais um grande problema social que seria a violência nas ruas principalmente em cidades grandes onde isso acontece com bastante frequência.

Esta situação é em parte decorrente da baixa renda de muitas famílias que se veem obrigadas a colocarem filhos ainda crianças para executar trabalhos árduos e com baixa remuneração.

O que diz a população?

A população em geral muitas vezes é indiferente a esta situação, acreditam que o trabalho infantil é a única maneira de sobrevivência para as famílias mais pobres.

Muitos acreditam que colocar uma criança para trabalhar é conveniente e evita a criminalidade, como sendo algo disciplinador.

Porém, o Estatuto da Criança e do Adolescente proíbe totalmente o trabalho de crianças menores de 14 anos e permite aos adolescentes de 14 a 16 anos na qualidade de aprendiz, executarem atividades remuneradas sem prejudicar a escolarização.

Escravos Infantis

Entretanto o que mais se vê é que quando a criança começa a trabalhar, eles deixam de frequentar a escola, talvez por que a jornada de trabalho prolongada traz cansaço, mas, por outro lado o jovem trabalhador “ganha um troquinho mais” submetendo-se a más condições de vida.

A jornada completa de oito horas por dia de trabalho é incompatível com o processo de escolarização, que é um direito de crianças e adolescentes, além de ser prejudicial à saúde e ao desenvolvimento psicológico dela.

Trabalho infantilComo já dito além da exploração econômica, os jovens trabalhadores da zona rural são submetidos a condições de trabalho extremamente danosas, sendo muito comum encontrar crianças a partir de 7 anos trabalhando em lavouras contaminadas, utilizando equipamentos perigosos e pesados, além da posição corporal ser inadequada acabando por atrapalhar no crescimento e desenvolvimento da criança.

Enfim, a exploração do trabalho infantil é comum em países subdesenvolvidos como no Brasil, geralmente nas regiões mais pobres, sabendo que na maioria das vezes isto ocorre devido a grande necessidade de ajudar famílias financeiramente deixando pra trás os estudos e sonhos de uma vida melhor!

Compartilhe este artigo:

publicidade

Comentários

Claudia comentou:

A criança tem direito à proteção contra a exploração econômica e de trabalho perigoso ou que possa prejudicar seus estudos ou sua saúde ou seu desenvolvimento físico, mas muitas vezes os próprios pais forçam essas crianças ao trabalho em vez de valorizar o estudo para que no futuro elas possam ter uma vida mais digna e poder viver bem melhor. É infelizmente ainda podemos ver tanta brutalidade contra as crianças e jovens, espero que possamos vez cada criança na escola tendo uma vida digna.

Responder
Sammy comentou:

Realmente,isto é uma triste realidade que deve ser mudada imediatamente.
Tenho vergonha de ser um ser humano e não poder fazer nada para ajudar essas pobres crianças que são submetidas a escravidão e a miséria.

Responder
Josefa Antonia Bezerra comentou:

Poxa,é muito triste ver pequenos seres, que nem começaram a viver, estarem trabalhando na escravidão. Essa realidade tem que mudar e para que mude, temos que dar o primeiro passa: Denunciar.

Responder

Deixe o seu comentário

Siga-nos

Participe

Cadastre-se

Cadastre seu email para receber as últimas novidades

Ofertas