Você está em: Clikaki »   Atualidades » Revolução Verde e a Modernização Agrícola no Brasil

Data de publicadaPublicado em Autor Por: Ricardo Peroto

Revolução Verde e a Modernização Agrícola no Brasil

O que é “Revolução verde” foi uma expressão criada em 1966, em uma conferência em Washington. Foi uma modernização, invenção e disseminação de novas sementes e praticas agrícolas que permitiram um vasto aumento na produção agrícola em países menos desenvolvidos durante as décadas de 60 e 70. Propósito da invenção Essa invenção acabou sendo um […]

O que é

“Revolução verde” foi uma expressão criada em 1966, em uma conferência em Washington.

Foi uma modernização, invenção e disseminação de novas sementes e praticas agrícolas que permitiram um vasto aumento na produção agrícola em países menos desenvolvidos durante as décadas de 60 e 70.

Propósito da invenção

  • Essa invenção acabou sendo um programa idealizado para:
  • Aumentar a produção agrícola no mundo – “melhoramento Genético”;
  • Uso intensivo de insumos industriais e mecanizados;
  • Redução de tempo e custo de manejo;

Ou seja, este feito visava aumentar a produção agrícola através do desenvolvimento de pesquisas em sementes, utilização de máquinas no campo, fertilização do solo tudo para aumentar a produtividade. Desenvolvendo sementes adequadas para diferentes tipos de solos e climas, adaptando para receber as máquinas agrícolas.

História

Revolução Verde foi o ciclo ocorrido no período após a 2ª Guerra Mundial onde os países vencedores e as grandes indústrias de armamento buscaram alternativas para manter os lucros obtidos na parceria que tiveram durante aquele o recente conflito. Através de um conjunto de técnicas, pesquisadores buscavam aumentar as produtividades agrícolas e resolver o problema da fome nos países em desenvolvimento.

Mas, infelizmente contraponto, além de não resolver o problema da fome, acabou aumentando a concentração fundiária, a dependência de sementes modificadas e ainda alterou significativamente a cultura dos pequenos proprietários.

Porém a introdução destas técnicas em países menos desenvolvidos provocou um aumento brutal na produção agrícola de países não industrializados.

Países como o Brasil e a Índia foram alguns dos principais beneficiados na produção.


Brasil

No Brasil, passou-se a desenvolver tecnologias próprias, tanto em instituições privadas quanto em agências governamentais (como a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – Embrapa) e em universidades.

A partir da década de 1990, a disseminação destas tecnologias em todo o território nacional permitiu que o Brasil vivesse um surto de desenvolvimento agrícola. Com este aumento da fronteira agrícola, há a disseminação de culturas em que o país é recordista de produtividade (como a soja, o milho o algodão, entre outros), atingindo recordes de exportação.

Há quem chame esse período da história brasileira de Era do Agronegócio.

Como funcionou o processo

As sementes modificadas e desenvolvidas nos laboratórios possuem alta resistência a diferentes tipos de pragas e doenças. Seu plantio aliado à utilização de agrotóxicos, fertilizantes, implementos agrícolas e máquinas, aumenta significativamente a produção agrícola.

Quem sediou o programa

Esse programa foi financiado pelo grupo Rockefeller, sediado em Nova Iorque. Utilizando um discurso ideológico de aumentar a produção de alimentos para acabar com a fome no mundo. O grupo Rockefeller expandiu seu mercado consumidor, fortalecendo a corporação com vendas de verdadeiros pacotes de insumos agrícolas, principalmente para países em desenvolvimento como Índia, Brasil e México

Vantagens e Benefícios da Revolução Verde

De fato, houve um aumento considerável na produção de alimentos, a revolução proporcionou tecnologias que atingem maior eficiência na produção agrícola. Houve o desenvolvimento de variedades do trigo, arroz e milho que multiplicaram a quantidade de grãos que antigamente se podia obter apenas por hectare; Ao longo das décadas de 60 e 70 alguns países que até então eram deficitários na produção passaram a ser exportadores; Agricultores Americanos e Europeus começaram a bater marcas mundiais de produção e cultivo. Sendo que com a agricultura moderna houve um incremento da produção em quase 300%, o que contribuiu para uma alimentação abundante, variada, de qualidade e baixo custo para os países desenvolvidos.

Desvantagens

O processo de modernização no campo alterou a estrutura agrária. Pequenos produtores que não conseguiram se adaptar às novas técnicas de produção, não atingiram produtividade suficiente para se manter na atividade. Consequentemente, muitos se endividaram devido a empréstimos bancários solicitados para a mecanização das atividades agrícolas, tendo como única forma de pagamento da dívida a venda da propriedade para outros produtores.

Vários problemas sociais não foram solucionados, como é o caso da fome mundial, além da expulsão do pequeno produtor de sua propriedade. A “Revolução Verde” proporcionou através destes ‘pacotes inovadores’ a degradação ambiental e cultural dos agricultores tradicionais.

Avalie e compartilhe este artigo:

Revolução Verde e a Modernização Agrícola no Brasil
1 voto, média de votos: 2.00 (pontuação: 76%)

Deixe o seu comentário


O que é um quilombo resumo

Conheça os benefícios do suco de limão a saúde

Como acabar com a azia durante a gravidez

Todos os fatalities Mortal Kombat 9 para Xbox 360 e PlayStation 3

Novo DLC trará novos aviões e mais para GTA 5

Anuncie no site | Google + | Direitos Autoriais | Políticas de privacidade |