Você está em: Clikaki »   Educação » História » Diferenças entre o cubismo analítico e sintético

Diferenças entre o cubismo analítico e sintético

Cubismo

Picasso e Braque foram um dos principais criadores do movimento nas artes plásticas que teve duas vertentes: o analítico e o sintético.

O cubismo foi um dos grandes movimentos artísticos da antiguidade.

O cubismo teve início nas artes plásticas no século XX, e depois de um tempo ele também passou a ser um movimento literário, tendo com escritores como Guillaume Apollinaire, John dos Passos e Vladimir Maiakovski.

Já nas artes plásticas o cubismo teve como fundadores Pablo Picasso e Georges Braque, tendo como marco inicial o quadro de Picasso em 1907, chamado “Les demoiselles d’ Avignon”.

Apesar de serem os criadores do cubismo, Picasso e Braque nomearam Paul Cézanne como ‘pai do cubismo’, que em sua última exposição fez obras que influenciaram os dois pintores.

A principal característica desse movimento era que todas as formas da natureza eram representadas através de formas geométricas, além disso os quadros se passavam no mesmo plano, ou seja sem nenhuma perspectiva ou sombra.

Cubismo analítico

Neste período o cubismo era considerado puro, ou seja, todos os quadros utilizavam formas geométricas e possuíam apenas um plano. Os quadros possuíam na sua maioria as cores: preto, cinza e tons de marrom e ocre. Muitas obras neste período eram de difícil entendimento, pois os quadros eram tão distorcidos que identificar pessoas e objetos era quase impossível.

"Ambroise Vollard", de Pablo Picasso retrata a técnica do Cubismo Analítico. (Foto: Wikiart.org)

“Ambroise Vollard”, de Pablo Picasso retrata a técnica do Cubismo Analítico. (Foto: Wikiart.org)

Cubismo sintético

Essa fase do cubismo ficou muito conhecida principalmente por utilizar a colagem como principal característica. Os artistas representavam objetos simples do dia-a-dia. Neste período os quadros passam a recuperar uma imagem mais real, tornando-os assim mais fácies de interpretar. As cores mais fortes passam a ser utilizadas nas obras.

"Violin Valse", de Braque é um exemplo do Cubismo Sintético. (Foto: Wikiart.org)

“Violin Valse”, de Braque é um exemplo do Cubismo Sintético. (Foto: Wikiart.org)

Compartilhe este artigo:

publicidade

Deixe o seu comentário

Siga-nos

Participe

Cadastre-se

Cadastre seu email para receber as últimas novidades

Ofertas