Você está em: Clikaki »   Educação » História » Nobel: paz e dinamite (parte I)

Nobel: paz e dinamite (parte I)

Prêmio Nobel

Entenda um pouco sobre a história do criador da dinamite e dos prêmios mais cobiçados do mundo: O NOBEL

dd

Todos os anos, no dia 10 de dezembro a atenção do mundo se volta para a distante Estocolmo, capital da Suécia. Ali, nessa data, são entregues os mais importantes prêmios internacionais dos tempos modernos: os prêmios Nobel de física, química, medicina e fisiologia, literatura. E respeitável entre todos o prêmio Nobel da paz.

Dez de dezembro é o dia em que morreu em 1896, o sueco Alfred Bernhard Nobel, o homem que inventou a dinamite, mas que também sonhava com um mundo sem guerras. Usou sua fabulosa fortuna para ajudar organizações pacifistas do seu tempo e antes de morrer deixou seus bens (31 milhões de coroas) a uma fundação, para que premiasse anualmente, cinco personalidades de destaque mundial da ciência e da cultura. Nobel queria que esses prêmios ajudassem a promover a compreensão e a amizade entre as nações.

DO petróleo ao laboratório

Nobel morreu riquíssimo, mas ao nascer a 21 de outubro de 1833, em Estocolmo, sua família era pobre. Alguns anos depois porém seu pai, modesto agricultor, resolveu tentar a sorte: estudou engenharia militar e saiu-se brilhantemente na nova atividade. E a tal ponto, que em 1842 foi convidado pelo governo russo a trabalhar na construção de engenhos militares e a dirigir a abertura de estradas estratégicas. O velho nobel aceitou e partiu para a Russia com toda a família: mulher e os filhos  Robert, Ludwig e Alfred.

Nobel

Alfred Nobel

Valeu a pena ter ido: em pouco tempo, a família já possuía jazidas petrolíferas em Baku, ao sul da Russia, e os filhos puderam ser educado por professores particulares. O pai não deixou de perceber o peculiar talento de Alfred e logo mandou passar um ano nos Estados Unidos, onde trabalhou com Johan Ericson, um engenheiro sueco.

Foi um ano bem aproveitado: Alfred voltou um inventor de renome e capacidade, para dirigir a exploração de petróleo em Baku. Mas, no fundo, não era isso que queria; sua ambição era fazer experiencias com explosivos que mal se conheciam naquele tempo. E, um dia, a família regressa á Suécia: um sonho está para virar realidade.

0.00 avg. rating (0% score) - 0 votes

Compartilhe este artigo:

publicidade

Deixe o seu comentário

Siga-nos

Participe

Cadastre-se

Cadastre seu email para receber as últimas novidades

Ofertas